Desde a infância, os brinquedos desempenham um papel importante no desenvolvimento das crianças. E, apesar de vivermos em tempos cada vez mais conscientes em relação às questões de igualdade de gênero, ainda é comum vermos estereótipos sendo perpetuados por meio dos brinquedos que são destinados a meninas e meninos.

Entre os brinquedos que são considerados mais populares entre as meninas, uma opção que aparece frequentemente é a boneca. Mas será que essa é mesmo a escolha unânime das garotas? O que dizem as pesquisas sobre o brinquedo favorito das meninas?

De acordo com um estudo realizado pela empresa de pesquisa de mercado Euromonitor, cerca de 75% das meninas entre 0 e 14 anos têm bonecas como um dos seus brinquedos favoritos. Outras opções populares entre as garotas incluem jogos educativos, bichos de pelúcia, carrinhos de boneca e brinquedos que simbolizam a maternidade, como berços, cadeirinhas e mamadeiras.

A pesquisa também indica que as meninas costumam se interessar pelos mesmos brinquedos e atividades que os meninos, mas que muitas vezes acabam deixando essas preferências de lado por conta da pressão social e dos estereótipos de gênero que são impostos pela sociedade. Isso pode prejudicar a criatividade e a imaginação das crianças, além de limitar suas opções de desenvolvimento.

Por isso, é importante que os pais e responsáveis fiquem atentos à forma como os brinquedos são apresentados a crianças e caminhem em direção à igualdade de gênero também nesse aspecto. É preciso evitar reforçar estereótipos de gênero e deixar que as crianças escolham seus próprios passatempos de acordo com suas preferências pessoais e seus interesses.

Além disso, é importante que os fabricantes de brinquedos também se preocupem com a questão da igualdade de gênero e ofereçam opções diversas e inclusivas para todos os públicos, sem limitar as possibilidades por conta de estereótipos e padrões culturais ultrapassados.

Em resumo, o brinquedo favorito das meninas pode variar de acordo com as preferências e os interesses individuais de cada criança, e cabe à sociedade como um todo trabalhar em prol da igualdade de gênero e do fim dos estereótipos que ainda permeiam o universo dos brinquedos.